Diego Kehrle

Para Alberto Caeiro (Fernando Pessoa)

O papel que chega como uma sentença

É assustador como uma dor súbita e desconhecida

É assim, sentença e dor súbita,

Porque não há diálogo e acolhimento…

Se houvesse diálogo e acolhimento

Não haveria indiferença e competição

Nem o estigma do fracasso sem razão de ser.

(Mesmo que siga havendo indiferença e competição

E o fracasso tornado estigma pela falta de sentido

Nós ainda precisaremos rasgar e cuspir no papel da sentença

E falar em praça pública sobre o crime dos juízes

Porque a escola que aí está o comete todos os dias

E nós aceitamos, num silêncio cúmplice

Para não parecer que sabemos da grande mentira)

--

--

Diego Kehrle

Diego Kehrle

Professor, mestre em Literatura e Interculturalidade e pesquisador independente.